Especialidades médicas


O sistema vascular é uma peça-chave do funcionamento do corpo humano. Por isso a importância de uma especialidade médica como a angiologia. Ela é uma área da medicina responsável por estudar e tratar patologias do sistema circulatório, ou seja, que afetam artérias, veias e vasos linfáticos, que são aqueles que transportam a linfa, líquido incolor com características parecidas com o sangue. Existem diversas formas de tratamento propostos pela angiologia, todos eles clínicos. São indicados remédios, dietas e atividades físicas, além da utilização de meias compressivas.

A cirurgia endovascular, é uma técnica cirúrgica muito indicada em diversos tratamentos que antes só podiam ser feitos com cirurgias  vasculares convencionais (abertas) como é o caso da correção de obstruções arteriais e de aneurismas. Ela utiliza cateteres e guias, manipulados à distância e monitorados por telas de computador. Sua principal vantagem é minimizar a agressividade cirúrgica, evitando, assim, grandes incisões, cicatrizes e risco de infecções. O tempo de internação nestes casos costuma ser bem menor.

A área de atuação da neurorradiologia intervencionista é bastante ampla e engloba não só patologias intracerebrais e intramedulares, mas também doenças extracranianas da cabeça e pescoço.

Ela pode ser utilizada no tratamento dos aneurismas cerebrais, das malformações arteriovenosas cerebrais, das malformações vasculares espinhais, das fístulas durais cerebrais ou medulares, no acidente vascular cerebral agudo, nas doenças ateroscleróticas cervicais e intracranianas e na embolização de tumores hipervasculares da cabeça e do pescoço.

A neurorradiologia intervencionista trabalha com diversas especialidades e a sua utilização pode se estender para a cirurgia da cabeça e do pescoço, cirurgia oncológica, otorrinolaringologia, neurocirurgia, cirurgia vascular, oftalmológica, neurologia, ortopedia e oncologia

Radiologia Intervencionista é uma subespecialidade médica que utiliza a radiologia não só para o diagnóstico, mas também para o tratamento de várias doenças, por meio da associação de princípios clínicos e cirúrgicos. Recursos de imagem como radiografiaangiografiatomografia computadorizada e ultrassonografia, historicamente utilizados apenas com finalidade diagnóstica, são combinados a instrumentos cirúrgicos para acessar e tratar praticamente qualquer órgão do corpo.

O grande diferencial da Radiologia Intervencionista é, assim, permitir a realização de procedimentos intervencionistas comprovadamente seguroseficazes e pouco dolorosos, que resultam em uma redução no tempo de recuperação do paciente, diminuindo a taxa de complicações e, consequentemente, o tempo de internação hospitalar.

Durante o procedimento, as fotos obtidas por equipamentos de imagem permitem, por exemplo, que o radiologista intervencionista conduza instrumentos como cateteres por dentro de canais naturais do corpo, como vasos sanguíneos, para acessar órgãos profundos como fígado, rins e ossos, sem que sejam necessárias grandes incisões na pele e em outros tecidos.